terça-feira, 29 de março de 2011

Elisa, Lisa, Lis, Lise. Minha flor, minha cor, minha cara.



E você diz: Não fica triste não Nani, eu amo vc. E quando eu chego cansada você diz: Vamo tomar banho, tirar essa roupa... E conta histórias incríveis : Daiii tinha uma princesa que queria beber coca-cola. Aiii o pai dela disse, não pode beber coca não, aiii ela bebeu e ficou assim. E vc se treme pra mostrar o estado da princesa teimosa. É como se fosse minha filha, na verdade acho que era pra ser :] Maaas me veio como irmã, e faz dos dias difíceis sorriso de Lisa.

5 comentários:

  1. Que linda criança. Elas são nossa esperança para dias melhores.

    ResponderExcluir
  2. To em cima da cama, por isso o Sipa ta menor que eu! ahsduashuahsduhasudhasu, só assim pra eu ser grande.

    ResponderExcluir
  3. Belo texto. De puro amor e carinho. E revelador : o corpo desse texto pede uma criança. O texto quer se abrir num rebento. Um novo ser. Gerado. Parido. Criado. Não vai poder esperar mais cinco ou dez anos. Previsões racionais nunca se realizam. E o corpo desse texto já é MULHER.
    Um beijo para Elisa, Lisa, Lis, Lise. Sua flor, sua cor, sua cara.

    ResponderExcluir
  4. O texto que postei à tarde foi este. Devo ter cometido algum erro na postagem. Os outros ainda não tive tempo sequer de ler. Mas esse aí fiz de cara, sentindo todo o seu amor pela Elisa. Tem bom astral, energia amorosa, e me abriu mais um pouco de conhecimento sobre os movimentos da sua alma. Pena que você não tenha encontrado ele na chegada da faculdade. Ainda bem que fiz de improviso e copiei no Word. Parecia que estava advinhando...abraço,amiga. RobertoMenezes.

    ResponderExcluir
  5. E uma explicação :no comentário, eu falei sobre o CORPO DO TEXTO não do corpo da autora. Segui o desejo feminino de gerar uma vida nas frases amorosas da escritora. E no final, mandei um beijo para o signo Elisa não para a criança concreta. Mesmo assim, que esse beijo resvale do texto e chegue nessa figurinha tão amada, da qual só conheço em fotos e linguagem. Valeu, Dani.

    ResponderExcluir