terça-feira, 8 de março de 2011

Ah mulher mulher mulher.

Parabéns pra nós, com muito merecimento. To meio sem inspiração para escrever hoje, por mil motivos que me desgastam, mas enfim, não podia deixar passar esse dia muito muito especial. E pra não encher linguiça vou me diminuir a isso: dizer que me orgulho de ser mulher, ter todos os charmes, crises e dores que todas nós temos, por enfrentar diariamente gente de cabeça pequena que pensa que mulher não tem direito de ir atrás de felicidade e de beber, causar, chorar, amar e desamar. Por que muitas vezes ouvi: Como é feio uma mulher fazer isso! E se fosse um homem? Ah daí é diferente. E olha que ouvi isso de mulheres, triste não? Pois é, ainda temos muito espaço que ocupar, não que mulheres deveriam dominar o mundo, perder a feminilidade e odiar homens... Não é isso. Mas é lindo ver toda delicadeza encobrindo uma força linda. Se eu fosse um homem, piraria na alma feminina.
Daí, escolhi Vinicius para enfeitar esse texto meio chinfrim. O poema é ótimo, eu acho, e beem conhecido. E talvez o poema nem tenha muito a ver com nosso dia, mas confesso que toda mulher adoraria ouvir um homem recitando ele ao pé do ouvido.

Soneto de Fidelidade

Vinicius de Moraes


De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

Nenhum comentário:

Postar um comentário