domingo, 22 de abril de 2012

Meteoros nessa madrugada.

Abro o navegador e leio que hoje, nessa madrugada de sabado pra domingo será visível a olho nú, no ceu, uma chuva de meteoro. Engraçado, nunca imaginei que essas coisas fossem possíveis de ver, e muito menos que eu poderia ver. Mas entre todos os pensamentos que a chuva de meteoro trouxe veio você: numa recordação recente, mas com gosto de velha. Em frente a tv, embaixo do cobertor, aproveitando o feriado fora de casa dos meus pais estavamos nós dois, juntos num corpo só. Quando anunciam: "O eclipse será visível a olho nú, nesta madrugada de sabado pra domingo". Câncer, o signo da Lua dizem. - Quero muito ver com você. - Não vai dar, vou viajar lembra? - Bom podemos ainda assim assisti-lo juntos. Você sorri e eu me sinto com uma prova com nota A na hora do almoço com a família. No outro dia os dois, nós dois programamos o despertador. E então posso imaginar: Acordo ao som de Bob Dylan, Just like a woman. Descabelada, pé no chão, 3 espirros seguidos pego um copo d'agua. Abro a janela: um puta vento e mais 2 espirros. Acorda ao som de Let it be, bochachas marcadas pelo travesseiro, põe o chinelo, limpa o canto dos olhos com os dedos. Se arrepende de ter marcado de ver o eclipse, precisava acordar ás 5h da manhã etc etc. Pega o celular, disca meu número. E agora a chuva de meteoro nessa madrugada vem. E desconfio: é só para que você não saia tão facilmente dos meus pensamentos. Chamam também de "estrelas cadentes" chuva de estrelas cadentes: fico a repetir deitada na cama.

Nenhum comentário:

Postar um comentário